m.pocaricaonline.com (versão mobile)
Facebook Twitter RSS
Bem-vindo
  Skip Navigation Links  
   
  Serviços
  Frase do dia
PocaricaOnline.com
  Links Regionais
  Publicidade
Publicidade no PocaricaOnline.com
Contacte-nos!
  Scan
  Visitantes
Dados Históricos da Freguesia

Na obra aqui figurada, no seu volume Sétimo, pagina 203, afirma-se:

Porcariça - portuguez antigo = guardadora de porcos
"... mandamos que todolos os porcariços que trouxerem porcos no campo, dem eles a seus senhores ou (os) sinaes d'eles: e os que os trouxerem no sovral outro si, dem do alfeire (lugar onde se recolhem os porcos) recabedo, como se os trouxessem no cham. E os bácoros quem trouxerem no sovral, dê D (500)cabeças de ende (d'hai) algums perderem perdoenlhes ende XX (20) cabeças: e dos outros todos, dem ende recabedo a seus senhores."
in Costumes e Posturas de Évora, de 1264

.... e ainda:

"Porcariça - freguesia, Douro, comarca e concelho de Cantanhede, 24 Kilometros ao O. de Coimbra, 220 ao N. de Lisboa.
Tem 270 fogos.
Em 1757 tinha 340 fogos.
Orago, Nossa Senhora da Conceição.
Bispado e districto administrativo de Coimbra.
O cabido da Sé de Coimbra, apresentva o cura, annual, que tinha 180$000 réis.
Há aqui fabricas de cortumes.
O nome desta freguezia vae explicado na palavra antecedente, pois é d'ela que provem a sua etymologia."


por Rui Pereira Coelho, 2015.01.31




Como atestam os achados de várias sepulturas e outros objectos, é de admitir que esta povoação tivesse sido habitada por Celtas e Turdulos Velhos. A existência de um povoado romano não pode ser contestada uma vez que é frequente encontrarem-se moedas, mós e sepulturas, particularmente no lugar do Beato, considerado uma necrópole.

Calcula-se que a romanização tenha sido muito intensa não só pela dimensão desta necrópole, mas também pela grande quantidade de objectos encontrados. A antiguidade da Pocariça começa a demarcar-se com certo relevo depois dos elementos arqueológicos que, em Maio de 1926, foram encontrados no referido lugar do Beato.

No reinado de D. João III, em 1527, quando este ordenou que se fizesse um levantamento da população do país, a população era composta por 38 vizinhos, aproximadamente 150 habitantes. Nesta época a Pocariça era um simples lugar da freguesia de Cantanhede.


A feira dos 4

A freguesia só foi criada no ano de 1630, depois de uma prolongada e acalorada questão com o cabido da Sé de Coimbra, questão essa que se arrastava desde o ano de 1618. O litígio foi julgado a desfavor do povo da Pocariça, mas os pocaricenses com a sua razão e pertinência acabaram por ganhar o recurso no Tribunal da Corte Arquiepiscopal de Braga. Foi então criado um curato, ficando a apresentação do cura ao cabido da Sé de Coimbra que recebia anualmente de renda 180 mil réis.

A igreja matriz da Pocariça foi levantada no local onde existia a capela de Nossa Senhora da Ajuda. Em 1839 a freguesia aparece na comarca da Figueira da Foz e em 1852 na de Cantanhede onde continua.

Foi na freguesia da Pocariça que, pela primeira vez em Portugal se criou a "Companhia de Cristo Rei" que, por sua vez, funda a "Obra de los Sagrários" que em todas as casas da Companhia deviam funcionar.

No livro "As Terras de Mira - Perspectiva Histórica", da autoria de Maria Alegria Fernandes Marques, Professora de História da Universidade de Coimbra, aparece na página 67 uma referência à vida económica da região no Século XIX.

Como pode ler-se no livro editado pela Câmara Municipal de Mira, «as feiras dos concelhos de Cantanhede e Vagos (Pocariça e Cantanhede, no primeiro, e Vista Alegre no segundo, a 4, 20 e 13 de cada mês, respectivamente) eram abastecidas pelos produtos agrícolas do concelho de Mira e, as primeiras, também pelo pescado da costa do Mar de Mira.»

Enviado por : Rui Pereira Coelho


O nome Pocariça

No tempo dos primeiros reis apareceram inúmeras referências a Porcariça, como então lhe chamavam. No entanto, a etimologia da palavra Pocariça tem dado origem a diversas dúvidas e polémicas.

Tanto o Padre António Carvalho da Costa, na sua Corografia Portuguesa (1868), Pinho Leal, no seu Portugal Antigo e Moderno (1876) e outros autores assim a designavam, embora anteriormente outras denominações aparecessem como Pucariça, Pocarina, Pocarissa e Purcariça.

O Padre António Carvalho da Costa ao narrar a vila de Cantanhede cita, entre outros lugares do seu termo o da Pocariça, o que é um erro, uma vez que esta povoação nessa data já constituia uma freguesia.Pinho Leal diz que a denominação de Pocariça deriva do português antigo que significava Porcariça, o mesmo que porqueira ou guardadora de porcos e documenta isso com os Costumes e Posturas de Évora, de 1264. Agostinho Rodrigues de Andrade, na Corografia Histórico-Estatísticado Distrito de Coimbra, publicada em 1869, atribuiu-lhe a mesma designação.

Não desejando entrar em longas divagações etimológicas podemos admitir, também que, uma versão que se manteve durante alguns anos e na qual se dizia que Pocariça seria, no seu princípio constituída por duas palavras: Porca e Riça que seriam a alusão à existência na povoação de uma porca de cor castanha e de cerdas crespadas, animal esse de estimação não só pela sua cor e qualidade do seu pêlo rijo, mas também, por constituir uma raridade e daí darem o nome à localidade. Deve tratar-se de uma lenda posta a correr há bastantes anos atrás.

O actual nome é Pocariça, designação que foi definida em 1925 pela Câmara Municipal de Cantanhede, deliberação camarária confirmada pela respectiva rectificação no Diário do Governo de 7 de Outubro de 1925.


Trovoadas e Inundações (Pocariça)
1896

"Na tarde do dia 27 de Maio de 1896 passou na Pocariça, em direcção aos Covões, um formidavel ciclone, acompanhado de chuva torrencial e de granizo, que, sobretudo entre as Arrotas e a Fonte-Errada, causou enormes estragos nos milharais, vinhas e olivedos.

As chamadas Hortas da Pocariça, onde a agua chegou a atingir uma altura muito superior a um metro, estiveram durante largos dias inundadas.

Em frente delas esteve interrompido o trânsito na estrada dos Covões, que também ficou coberta de agua durante algumas horas.

Foi derrubado um muro que separava uma das Hortas do terreno baldio adjacente à estrada e algumas vinhas ficaram em tal estado que so passados dois anos puderam readquirir o seu antigo vigor. Oito dias passados, ainda se via muito granizo por derreter."


1939

"Também na tarde de 3 de Junho do corrente ano (1939) se desencadeou sobre Pocariça uma trovoada, como não havia memoria de outra igual.

A chuva torrencial que caiu, foi em tal quantidade que em poucos minutos ficaram completamente cobertas de agua a Praça do Comércio e as ruas de Santo Antonio e do Sara, e inundadas muitas casa de habitaçã.

O mesmo sucedeu às Hortas , em que a agua atingiu rapidamente uma altura tal que chegou à estrada, cobrindo-a por forma a impedir o trânsito. Muitos foram os prejuizos causados por tão grande trovoada, sobretudo na Praça e nas ruas, cujas calçadas ficaram sem saibro algum, oferecendo grande incomodo a quem por elas tinha de passar. Na memoria das pessoas mais idosas da terra foram estas as duas trovoadas que mais prejuizos causaram."

Fonte :
 - V. de Sa FRAGOSO. A freguesia da Pocariça do Concelho de Cantanhede - Apontamentos para a sua Historia. 1939 (réed. 1997) pp235-236.

http://c.geneal.over-blog.com/article-32898878.html

Enviado por: Luis Pereira


PocaricaOnline.com
Contacte-nos
PocaricaOnline(at)gmail.com
2002 - 2009
Todos os direitos reservados.
Powered by gCMS

Level A conformance icon, 
          W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0 Valid CSS!

Mapa do Site
Contactos
Divulgação e Publicidade
Política de Privacidade

Twitter



Share/Save/Bookmark